Home Page · Mapa do Site

Informações

                 
Localização  Horários  Marcações

 

De Miranda do Douro para Lisboa… Burro Mirandês na Quinta Pedagógica

Através de um protocolo celebrado entre a Câmara Municipal de Lisboa e a AEPGA - Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino, a Quinta Pedagógica dos Olivais recebeu em 2007 um exemplar masculino da raça Asinina de Miranda, ou seja, um Burro de Miranda do Douro. Este animal viajou directamente de Miranda do Douro até à Quinta Pedagógica de Lisboa, com o principal objectivo de promover e divulgar esta raça, a primeira espécie em Portugal a fazer parte do grupo de raças autóctones asininas, protegidas pela União Europeia.

 

Fundada em 2001, a Associação para o Estudo e Protecção do Gado Asinino (AEPGA) tem por objecto social a protecção e promoção do Gado Asinino, em particular a raça autóctone de asininos das Terras de Miranda - Burro de Miranda. Esta associação pretende contribuir para o melhoramento genético e criação de um conjunto de animais de características semelhantes, que actualmente sobrevive no Planalto Mirandês.

 

Com a vinda deste burro mirandês, a Quinta Pedagógica dos Olivais associa-se à AEPGA na sua função de preservação e aproveitamento desta raça autóctone, de forma a salvar um património genético, ecológico e cultural único no nosso país.

 

A Quinta Pedagógica dos Olivais pretende, cada vez mais, assumir um papel determinante na promoção e reconstituição da imagem de ruralidade do nosso país. Um dos principais objectivos do trabalho desenvolvido na Quinta é a divulgação e valorização das raças autóctones e do nosso património cultural, histórico, genético e ambiental, pretendendo-se, neste caso concreto valorizar da imagem do burro, particularmente do Burro de Miranda, como forma de estimular o interesse público para o problema da sua extinção.



Buxo  - o nosso burro Mirandês

 

Em Portugal, os burros tiveram sempre um papel fundamental nas actividades rurais, quer pela sua força e capacidade de trabalho, como pela sua facilidade de adaptação e resistência a condições de subsistência bastante difíceis. Há alguns anos, era considerado o meio de transporte por excelência, com capacidade de transportar grandes cargas por caminhos tortuosos. No entanto, nos nossos dias, com o avançar da mecanização agrícola e o abandono das práticas tradicionais, o burro tem sido votado ao abandono e colocado numa posição secundária no mundo rural, sendo mesmo por vezes abandonado e mal tratado.

 

A situação foi um pouco diferente em Miranda. O apego da sua população aos seus fiéis e incansáveis companheiros de viagem e de trabalho, levou à preservação de um pequeno grupo diferenciado de exemplares de gado asinino, com características próprias e distintas de outras raças. Estes animais distinguem-se pela estatura elevada (mais que 1,20m), a pelagem castanha escura, abundante e comprida, que adquire a cor branca no focinho e contorno dos olhos, orelhas grandes, largas na base e arredondadas na ponta, peito largo, cabeça volumosa, lábios grossos e pelo seu comportamento dócil.

 

Como muitas das raças autóctones do nosso País, também esta passa por grandes dificuldades para escapar à extinção. A tendência crescente dos criadores para recorrer à hibridação e a cruzamentos com animais de raças e variedades diferentes, tem levado ao gradual desaparecimento do padrão característico da raça. Uma forma de ressuscitar o papel do burro na sociedade rural é a sua aplicação a novas formas de desenvolvimento sustentável, tal como o turismo vocacionado para a conservação da natureza e do património cultural.

 

O burro das Terras de Miranda encontra-se ligado a incontáveis tradições locais e carrega uma importante herança cultural, que não se deve perder. Estas mais valias têm um elevado potencial que pode ser aplicado ao nível do ecoturismo, sendo crescente o número de pessoas que optam por actividades de turismo ligadas à cultura e à conservação da natureza que poderão, se bem aproveitadas, contribuir para o sucesso dos projectos ligados à preservação da raça.Para além da vertente turística, também tem vindo a ser utilizado na asinoterapia, uma terapêutica alternativa, onde os resultados demonstram que a manutenção de um contacto repetido com estes animais traz grandes benefícios no tratamento de pessoas com problemas físicos e mentais.

 

Os esforços para evitar a extinção da Raça Autóctone de Gado Asinino das Terras de Miranda e as diversas acções de divulgação levadas a cabo, têm resultado na alteração da imagem do burro e a opinião do público em geral tem vindo a modificar-se nos últimos tempos. É, por isso, cada vez mais importante que se valorize e preserve o património nacional natural e cultural, o qual constitui a identidade de um País, dando origem a projectos que potenciem o desenvolvimento regional associado ao turismo e à conservação do património natural e cultural, contribuindo para que estes valores não desapareçam definitivamente.

Programa Família

Notícias


Setembro é o mês do regresso à escola e a Quinta ...

ver mais


Agosto é tempo de férias para muita...

ver mais